Home -> Hospital -> Unidades e Serviços Especializados -> Unidade de Internação Psiquiátrica Mista

Unidade de Internação Psiquiátrica Mista

1- Introdução:

A Unidade Mista caracteriza-se pelo atendimento, em regime de internação psiquiátrica, de transtornos psicóticos decorrentes de variadas etiologias, tais como psicoses do espectro esquizofrênico, transtornos de humor (depressão e mania psicóticas), transtornos psicóticos agudos e transtornos mentais orgânicos, bem como de alterações comportamentais de risco associadas com estas e outras patologias psiquiátricas.

A equipe multidisciplinar é constituída por profissionais experientes e treinados, comprometidos com competência técnica e cultura humanística. Os recursos terapêuticos e técnicas de abordagem são orientados com base nas evidências clínicas mais atuais, o que propicia um ambiente sóbrio e humanizado, oferecendo segurança e apoio durante o período de internação.

Por constituir um corpo acadêmico comprometido também com ensino e pesquisa, nossa equipe é referência no treinamento de diversos serviços de saúde mental.

 

2- Equipe Técnica:

Dr. Paulo Clemente Sallet (médico supervisor e coordenador da enfermaria).

Dra. Melissa G. Tamellini (médica supervisora).

Enf. Raul A. Feriance Pacheco (enfermeiro chefe).

Psic. Graça Maria Ramos de Oliveira (psicóloga coordenadora).

Psic. Juliana Emy Yokomizo (psicóloga).

TO Adriana M. T. Marchi (terapeuta ocupacional).

AS Eliane Silvério Almeida (assistente social). 

Equipe de Enfermagem:

Nelson de Oliveira

Miqueas Pereira

Sebastião Barbosa Reis

Leandro Alves de Oliveira

Eduardo Alexandre Rosa

Emerson Tadeu do Nascimento

Nathalia Pardini

Adilson Luis de Souza

Alexandre Cipriano Monteiro

Rosana Nogueira

Adão de Araújo

Delsinha Alves da Silva

Jairo Arruda Filho

Residentes, Aprimorandos e profissionais de cursos de especialização das áreas de Psicologia,Terapia Ocupacional, Enfermagem e Serviço Social.

 

 

3. Atividades desenvolvidas pela equipe da Unidade Mista:

 

3.1. Visitas de Enfermaria:

As visitas diárias constituem prática regular onde a equipe atualiza diariamente a situação clínica de cada um dos pacientes nos 12 leitos disponíveis. As visitas são coordenadas pelos médicos assistentes, com a presença dos médicos residentes, equipe de enfermagem e psicólogas. O principal objetivo das visitas diárias consiste em otimizar o emprego de intervenções e procedimentos necessários para avaliação diagnóstica e boa condução do tratamento. O contato diário da equipe multiprofissional com o paciente permite dar maior presteza ao atendimento clínico com base na escuta de suas necessidades e na imediata implementação das providências necessárias (p. ex., solicitação de avaliações de outras especialidades, exames diagnósticos, testes neuropsicológicos, necessidades de intervenções psicossociais específicas, etc).

 

3.2.Reuniões de equipe:

As reuniões de equipe ocorrem semanalmente, nas segundas-feiras, das 10:00 as 12:00 h. Essas reuniões envolvem todos os membros da equipe multidisciplinar (médicos assistentes, residentes, psicólogas, enfermeiros, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais) e têm por objetivo discutir e implementar um plano terapêutico específico para cada um dos pacientes internados, com base no comportamento do paciente e nas informações colhidas ao longo da semana durante as diversas atividades na Unidade.

 

3.3.Supervisão de Residentes:

A instituição tem por objetivos a assistência aos pacientes, o ensino profissional e a pesquisa. Em acordo com tais objetivos, cada paciente é cuidado por um médico residente em treinamento, sob a supervisão direta de um dos médicos assistentes. As reuniões de supervisão visam o enfoque psiquiátrico específico e aprofundado de cada caso clínico, contemplando suas dimensões psicopatológicas, psicofarmacológicas, psicodinâmicas, cognitivo-comportamentais e sistêmicas. Além das discussões informais durante as atividades de enfermaria, cada um dos médicos assistentes supervisores organiza duas supervisões estruturadas (cada uma com duas horas de duração) ao longo da semana.

 

3.4.Seminários:

Os seminários consistem em atividades didáticas por meio de artigos atualizados, com discussão de temas científicos diretamente relacionados ao manejo e tratamento dos casos clínicos durante a internação. Todos os seminários são ministrados pelos médicos residentes ou outros membros da equipe e supervisionados pelos médicos assistentes. Os seminários permitem auxiliar no processo de atualização cientifica necessário para manter o alto nível da assistência ao paciente internado, além de colaborar na formação de nossos médicos residentes.

 

3.5.Atividades desenvolvidas pela equipe de Psicologia da Unidade Mista:

O Serviço de Psicologia da Unidade Mista procura desenvolver uma ampla gama de atividades clinicamente importantes durante a internação, tais como:

·         Apoio ao diagnóstico e tratamento dos pacientes internados,

·         Veiculação de informações psicoeducacionais a pacientes e familiares,

·         Treinamento de Habilidades Sociais

·         Realização de grupos terapêuticos

·         Grupo com membros da equipe de atendimento (objetivando apoio e esclarecimentos em situações de maior complexidade).

A atuação da equipe de psicologia é pautada no entendimento bio-psico-social do ser humano, onde os distúrbios mentais são compreendidos como resultantes da interação de aspectos orgânicos (biológicos), psíquicos (conflitos internos) e relacionais (sociais, familiares, econômicos, políticos, culturais e religiosos). O objeto da intervenção terapêutica é então o indivíduo total, abordando-se de forma diretiva a qualidade das condições ambientais da vida do paciente, o que auxilia no alívio dos sintomas, promove um maior recurso de ajustamento para a solução dos problemas vitais, uma melhor percepção de si e do outro e uma compreensão ampliada da doença. Procura-se auxiliar o paciente para que ele possa melhor dirigir sua conduta e ter mais opções quanto ao modo de se relacionar com os outros.

Considerando que esta Enfermaria proporciona internação psiquiátrica a casos agudos com tempo curto de permanência, o Psicólogo mantém uma postura mais ativa, o que implica em um manejo mais flexível do setting terapêutico. Neste sentido, o enfoque é predominantemente institucional, através de condutas terapêuticas breves, visando aperfeiçoar a situação de tratamento e internação. Os aspectos relevantes destes atendimentos são comunicados para o restante da equipe, em reuniões, contatos individuais e anotações de prontuário, sempre respeitando o sigilo e a ética própria do trabalho em Instituição.

 

3.5.1. Entrevista de Casos Novos:

Tem como objetivo investigar o histórico familiar, desenvolvimento cognitivo, motivo da internação, percepção de si e do outro, crítica em relação à doença, dinâmica psicológica, fundamentando a elaboração do Plano Terapêutico Individual.

Participa desta entrevista mais de um membro da Equipe de Psicologia da Enfermaria Mista.

 

3.5.2. Atendimentos individuais:

Quando identificadas condições que assim o exijam, após discussão em equipe ou quando solicitado pelo paciente, durante a internação o período de internação psiquiátrica pode ser realizado atendimento individual com vistas ao aconselhamento ou apoio psicológico. Os objetivos deste atendimento são aprimorar a percepção do paciente em relação a si e ao outro, de modo geral possibilitar melhor elaboração e compreensão dos sintomas, crítica da doença e motivos da internação.

 

3.5.3. Atendimento Grupal para pacientes da Enfermaria:

Tem como objetivo a utilização de intervenções para o auxílio no processo de elaboração e compreensão dos sintomas, mobilização para o tratamento e treinamento de habilidades sociais. O trabalho grupal também procura estimular uma melhor convivência entre os pacientes da Enfermaria, podendo inclusive ser discutidas questões relacionadas à própria Enfermaria.

 

3.5.4. Habilidades Sociais

O Grupo de Habilidades Sociais consiste em um exercício semanal, lúdico e interativo, em que são abordadas questões que falam dos diversos tipos de comportamento existentes nas relações. Com isso, busca-se desenvolver e trabalhar formas de interação que facilitem a comunicação do paciente com as outras pessoas nas mais diversas situações.

 

3.5.5. Avaliações Neuropsicológicas e de Personalidade

Por meio de entrevistas e aplicação de testes neuropsicológicos padronizados e/ou provas projetivas, específicos para cada caso, obtêm-se informações objetivas de grande auxílio no diagnóstico e na formulação de plano terapêutico específico.

 

3.5.6. Grupos de Orientação às Famílias:

Em conjunto com assistentes sociais e membros da equipe médica, os Grupos de Orientação às Famílias são realizados semanalmente com cuidadores e familiares, tendo por objetivos a análise das condições sistêmicas e contingências relativas ao paciente internado, veiculação de informações psicoeducacionais voltadas ao aperfeiçoamento do manejo dos pacientes, além de identificação e encaminhamento de condições objeto de atenção clínica em cuidadores e familiares.

 

 

3.6.Atividades de Terapia Ocupacional na Unidade Mista:

Alterações cognitivas e funcionais costumam ser observadas em pacientes com transtornos psicóticos desde o início da doença. Os processos de atenção, memória e funcionamento executivo encontram-se variavelmente afetados em grande parte dos pacientes não apenas durante a fase aguda como também após e após esta fase. Portanto, a execução de tarefas que exijam iniciativa, planejamento e organização mostram-se particularmente suscetíveis de comprometimento. Neste contexto, o terapeuta ocupacional compõe a equipe multiprofissional através de técnicas terapêuticas e educacionais, complementando a abordagem psicofarmacológica e as demais atividades terapêuticas.

3.6.1.Grupos de Terapia Ocupacional (TO):

Os Grupos de TO ocorrem diariamente. As intervenções terapêuticas iniciam-se no momento da internação e envolvem abordagens cognitivas e ocupacionais, tendo como objetivos: (1) avaliar funções cognitivas e o desempenho funcional; (2) aproximar o indivíduo de contextos da realidade, através da interação com objetos e pessoas; (3) estimular a realização de atividades durante o período de internação, minimizando os prejuízos durante a fase aguda; (4) preservar e/ou desenvolver o seu nível máximo de funcionamento cognitivo-ocupacional, necessário para a realização das atividades cotidianas; (5) estimular e possibilitar a organização interna do indivíduo; (6) possibilitar e estimular a comunicação e o relacionamento interpessoal durante os atendimentos; (7) realizar orientações relacionadas ao tratamento e à (re)estruturação do cotidiano; (8) encaminhar para outros grupos terapêuticos (durante e após a internação) e/ou recursos disponíveis na comunidade.

Durante a internação, são realizados atendimentos grupais semanais, nos quais cada paciente é estimulado a realizar uma atividade. As intervenções ocorrem durante a realização das atividades. Durante os atendimentos, o paciente é estimulado a seguir etapas: (1) escolha de uma atividade; (2) planejamento da atividade (como fazer); (3) organização do material que será utilizado; (4) execução da atividade; (5) finalização da atividade; (6) organização do material e do espaço físico utilizado.

3.6.2.Técnicas utilizadas:

Estimulação cognitiva: baseia-se na indicação de atividades/tarefas que requerem o uso das funções cognitivas, estimulando atenção, memória, aprendizagem, flexibilidade mental e o funcionamento executivo. O objetivo é a manutenção e/ou melhora do desempenho funcional.

Terapia de orientação à realidade: baseia-se no fornecimento de informações sobre a realidade, num processo contínuo e repetitivo. A informação é transmitida em cada contato com o paciente e, durante o atendimento, são realizados comentários sobre a situação atual do paciente: como está, onde está, de onde veio, aonde vai, dia e hora, bem como sobre situações que surgem durante a realização de atividades. As informações são transmitidas de forma clara, objetiva, utilizando a comunicação pessoal, olhares, gestos, contato físico, voz, sons e através de objetos do cotidiano como relógios, calendários, revistas, músicas, etc.

Diretrizes:

1. O terapeuta deve ter conhecimento sobre as condições do paciente e querer envolvê-lo em alguma atividade;

2. Fazer com e não para o paciente. Se o paciente pode realizar a atividade independentemente, assim deve fazê-lo;

3. O terapeuta deve explorar as habilidades preservadas e estimular funções que estejam prejudicadas;

4. O fazer, a ação e o agir são necessidades de todo o ser humano;

5. A cognição está na base de todo comportamento. Neste contexto a TO utiliza “o fazer atividades” para prevenir prejuízos do funcionamento cognitivo;

6. A estimulação cognitiva em TO é realizada através do uso constante das funções cognitivas, através de diferentes atividades;

7. Na prática clínica da TO é possível observar melhora nas funções cognitivas e no desempenho funcional, que muitas vezes podem representar um grande ganho na vida do paciente.

 

 


4. Atividades desenvolvidas durante na Unidade de Internação Mista (Pacientes e Equipe):

 

h

SEGUNDA

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

Equipe

Pacientes

Equipe

Pacientes

Equipe

Pacientes

Equipe

Pacientes

Equipe

Pacientes

7:30

Visita de Enfermaria

 

Visita de Enfermaria

 

Visita de Enfermaria

 

Visita de Enfermaria

 

Visita de Enfermaria

 

8:00

Desjejum

Desjejum

Desjejum

Desjejum

Desjejum

8:30

Seminário

Recreação (Enfermagem)

 

Pet-terapia

Supervisão Residentes

Recreação (Enfermagem)

 

Recreação (Enfermagem)

Supervisão

Recreação (Enfermagem)

9:00

 

 

9:30

Atividade Física (Quadra)

 

Grupo TO

Atividade Física (Quadra)

 

Grupoterapia (Psicologia)

10:00

Reunião

de

Equipe

 

 

Reunião Geral

IPq

10:30

Recreação (Enfermagem)

 

TO Voluntárias

 

TO Culinária

TO Voluntárias

 

 

11:00

 

 

Plantão para

Familiares (Psicologia)

 

11:30

 

 

 

 

 

Supervisão Residentes

 

 

12:00

 

Almoço

 

Almoço

 

Almoço

Almoço

 

Almoço

12:30

 

 

 

 

 

 

 

 

 

13:00

Grupo de Família

 

 

 

 

 

Grupo

TO

 

Dança TO

13:30

 

 

 

 

 

 

 

14:00

 

Horário de Visitas

 

Horário de Visitas

 

Horário de Visitas

 

Horário de Visitas

 

Horário de Visitas

14:30

 

 

 

 

 

15:00

 

 

Supervisão Residentes

Cine-IPq

 

Assembléia (Enfermagem)

 

Habilidades Psicossociais (Psicologia)

 

Autocuidados (Enfermagem)

15:30

 

 

 

 

 

16:00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

16:30

 

 

 

 

 

 

 

 

 

17:00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

18:00

 

Jantar

 

Jantar

 

Jantar

 

Jantar

 

Jantar

20:00

 

Lanche

 

Lanche

 

Lanche

 

Lanche

 

Lanche